Qualifarma
Pesquisar
Close this search box.

Autoexame de mama: a importância do autocuidado na prevenção do câncer

O autoexame de mama é uma técnica que ajuda mulheres com idade superior a 20 anos a prevenir o desenvolvimento do câncer de mama, quando alterações nos tecidos dos seios são identificadas ainda em seus estágios iniciais. Ao fazer esse check-up, a mulher tem a oportunidade de detectar o problema ainda no começo, potencializando muito as chances de cura.

Dito isso, nada melhor que focar em uma rotina de autocuidado. Desse modo, você desenvolve uma boa qualidade de vida e valoriza a sua saúde. Quer saber quais são as boas práticas para realizar tal procedimento? Então, continue conosco e confira tudo nos tópicos abaixo.

A importância de um diagnóstico precoce

De acordo com estimativas do Instituto Nacional de Câncer (INCA), 17 mil mulheres foram a óbito só em 2020 em decorrência do câncer de mama. Além disso, cerca de 60 mil casos são diagnosticados a cada ano. Esse é o tipo de câncer que mais causa mortes no público feminino no Brasil e o mais incidente em todas as regiões do país. Contudo, cerca de 95% dos casos detectados no início têm chance de cura.

Desse modo, ao ter um diagnóstico precoce, as mulheres podem investir em um tratamento eficaz e ter mais chances de se recuperar. Assim, cresce a importância de incentivos de pessoas físicas e jurídicas em combater esse grande problema de saúde pública no nosso país. O Outubro Rosa faz o seu papel de reduzir o número de casos e conscientizar a população a realizar o autoexame de mama e valorizar a saúde ginecológica.

Os 3 passos para realizar o autoexame de mama

O objetivo principal do autoexame de mama é identificar certas irregularidades nessa região, desde a presença de nódulos, dores ou lesões nas mamas, até alguma veia dilatada. Para detectar tais sinais, siga o processo abaixo.

1. Auto-observação

Em frente ao espelho, tire o sutiã e analise o aspecto das suas mamas. Observe se há alterações ao deixar os braços caídos, levantados ou apoiados na cintura. Nesses momentos, considere possíveis mudanças no decorrer desses movimentos. Verifique com atenção o contorno, formato, tamanho, cor ou mudanças que estavam presentes no anterior autoexame de mama.

2. Apalpação da mama em pé

Após a auto-observação, chegou a hora de fazer o autoexame de mama durante o banho. Mantenha a coluna ereta, coloque a mão esquerda atrás da nuca. Em seguida faça a apalpação com a ponta dos dedos direitos. Realize movimentos circulares e indolores que passeiam da axila até a mama. Ao terminar, realize o processo no lado direito. Nesse ínterim, verifique se há nódulos, caroços, presença de líquidos ou secreções desconhecidas.

3. Apalpação da mama deitada

Com o corpo ereto e deitado, repita o mesmo processo descrito no passo anterior. Entretanto, conte com o auxílio de uma almofada para apoiar o ombro esquerdo. Depois, coloque-a no ombro direito. Por fim, note se há irregularidades nessa última etapa do autoexame de mama.

As principais características que devem ser observadas

Existem algumas irregularidades que demandam um certo alerta da mulher no autoexame de mama. Normalmente, as mulheres não sabem ao certo se um nódulo é benigno ou maligno. Por sua vez, o último costuma deixar um seio muito maior que o outro e tem características de um caroço totalmente irregular, além de ser muito duro e a mama sofrer alteração da cor.

Entretanto, é essencial comprovar os sinais de malignidade apenas por meio da mamografia. Isso porque há casos da presença de cistos na mama, que provocam dores difusas. Em busca de identificá-los com maior precisão, existe uma classificação dele: simples, complexos e complicados. Seja como for, cabe ao médico realizar a identificação e o procedimento de aspiração.

Por último, não podemos nos esquecer da presença de nódulos ou caroços, que costumam ser causados por alterações fibrocísticas, o fibroadenoma e as infecções da mama. Para isso, o público feminino pode contar com diagnóstico do nódulo sistema de classificação BI-RADS. Neste caso, existe uma classificação que varia 0 a 6. A presença de pequenos nódulos na mama é comum antes ou durante o período menstrual, não sendo necessária uma preocupação em relação a isso.

Sinais e sintomas do câncer de mama

Os sinais para ficar atenta durante a apalpação dos seios são:

  • mama inchada, com tamanho ou formato irregular;
  • mamilo com secreção líquida anormal;
  • irritação ao redor do mamilo, com vermelhidão, coceira ou ardência;
  • pequenas feridas ou lesões na mama;
  • região da mama afundada ou retraída, com prejuízo ao contorno;
  • caroço rígido na mama ou na axila;
  • veia dilatada ou aumentando de tamanho na mama.

Também vale lembrar que, embora mais raro, o câncer de mama pode acometer os homens, por isso as medidas preventivas se estendem a esse público. Logo, o autocuidado e o acompanhamento médico regular são fundamentais.

O que fazer ao encontrar algum sinal

Primeiramente, é necessário recorrer a um médico da sua confiança para ele examinar e realizar o diagnóstico. Clínicas e hospitais contam com vários tipos de exames de mama e equipamentos de qualidade que captam imagens com alta definição. A mamografia digital é um claro exemplo disso, uma vez que dispõe de uma maior eficiência em comparação ao processo convencional.

Além disso, ele é totalmente indolor, dura no máximo 25 minutos e a mulher só precisa ter o cuidado de não aplicar nenhum produto na região nos momentos que antecedem o exame, sobretudo o uso de desodorante, talcos, cremes e soluções.

A importância dos exames profissionais regulares

Como falamos, o autoexame de mama não é um exame preventivo do câncer de mama. Entretanto, ele deve ser feito mensalmente sete dias depois da menstruação, por meio do processo descrito acima, a fim de identificar certas irregularidades no corpo. Contudo, trata-se apenas de um cuidado extra, o primeiro passo, pois ele não deve substituir os exames profissionais regulares.

Sendo assim, a mulher não pode deixar de se consultar regularmente com o ginecologista. Também é preciso realizar a mamografia na intenção de detectar possíveis alterações e fazer um diagnóstico precoce, aumentando as chances de cura. O câncer de mama costuma atingir principalmente mulheres na menopausa, por isso o exame de imagem deve ser feito a partir dos 40 anos, no intervalo de tempo indicado pelo seu médico.

Em conclusão, queremos destacar o quanto o autoexame de mama é benefício para a saúde da mulher. Desse modo, ela foca no autocuidado e segue um estilo de vida que favorece a própria saúde.

Por meio das redes sociais você pode engajar mais mulheres a realizarem o autoexame de mama. Por isso, compartilhe agora mesmo este post e engaje esse público a seguir os passos descritos neste artigo e focar na prevenção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima